José Tadeu da FEBRAE presente no Encontro Nacional da Engenharia Civil em São Paulo

confea4d_capa

Teve início na noite da última quarta, 12 de julho, no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de São Paulo (Crea-SP) o Encontro Nacional da Engenharia Civil, com a participação de cerca de 500 profissionais da modalidade, integrantes das Câmaras Especializadas de todos os Creas. O evento, organizado pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia-Confea e o Crea-SP, discute medidas de aprimoramento da legislação do Sistema Confea/Crea, inclusive a adoção do Livro de Ordem em todo o Brasil.

A mesa de abertura do evento foi composta pelo presidente do Confea, Eng. Civil José Tadeu, pelo presidente do Crea-SP, eng. Vinicius Marchese Marinelli; pelo presidente do Crea-PI, eng. civ. Paulo Roberto Ferreira de Oliveira (Crea-PI), pelos conselheiros federais e engenheiros civis Marcos Camoeiras e Alessandro Machado, pelo vice-presidente do Crea-SP, eng. eletric. Edson Navarro, pelo diretor administrativo do Crea-SP, Carlos Eduardo de Vilhena Paiva, pela diretora de entidades do Crea-SP, eng. civ. Cláudia Sornas, pelo presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (Senge-SP), eng. civ. Murilo Pinheiro; pelo coordenador do Colégio de Entidades do Estado de São Paulo, Daniel Robles, pela presidente em exercício da Frebra-SP, eng. civ. Lenita Secco Brandão, e pelo coordenador do Colégio de Entidades Nacionais (Cden), eng. agr. Ângelo Petto Netto.

Na solenidade de abertura, os membros da mesa falaram sobre a situação da Engenharia Civil no país e a importância da integração de todas as engenharias para um projeto de retomada do desenvolvimento econômico nacional. O eng. agr. Ângelo Petto declarou que “hoje é a produção do agronegócio que vem segurando a economia, mas em torno dessa produção exemplar atuam todas as modalidades da Engenharia, e só alcançaremos nossos objetivos ideais com a união de todas as forças do Sistema”.

A eng. Cláudia Sornas, Diretora do Fórum das Entidades de Classe do Crea-SP, disse que “o Encontro ocorre em momento significativo para a nossa categoria. A Engenharia brasileira sempre se posicionou de modo estratégico para amparar nossa sociedade. E nesta sua transformação não poderia ser diferente, transformação que vem exigindo esforço mútuo para superarmos as turbulências dos últimos meses”. “Aqui – concluiu a engenheira – podemos enfatizar balizadores do exercício profissional que só ratificam o potencial do Engenheiro Civil comprometido com sua comunidade”.

Na sequência dos pronunciamentos, o Presidente do Crea-SP, Eng. Vinicius Marchese Marinelli, apresentou um resumo sobre as principais realizações do Conselho paulista nos últimos 10 meses, enfatizando o fato de que “o Crea-SP nunca fiscalizou tanto em sua história como neste ano de 2017, e só no primeiro semestre”. Em cinco meses o Regional de São Paulo fiscalizou com sua Força-Tarefa Inter-Regional 586 municípios e, segundo Vinicius, “vamos atingir todas as 645 cidades em ações pontuais a ser empreendidas ainda no segundo semestre”. “Foram mais de 52.000 atividades técnicas fiscalizadas”, explicou o Presidente do Crea-SP, “sendo cerca de 50% da área da Engenharia Civil, o que prova a importância de eventos como este”.

Encerrando a programação da noite, o Presidente do Confea, eng. José Tadeu da Silva, falou sobre o significado da recém-aprovada Lei n° 13.425, de 30 de março de 2017, que estabelece diretrizes gerais sobre medidas de prevenção e combate a incêndio e a desastres em estabelecimentos, edificações e áreas de reunião de público, conclamando as lideranças presentes ao fornecimento de sugestões para uma Resolução que vise à não ocorrência de desastres absurdos como o da boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul”. O Eng. José Tadeu citou outras conquistas da categoria, graças à articulação do Conselho Federal, com a parceria de outros Regionais, junto ao Congresso Nacional, como a novíssima Lei n° 13.465, de 11 de julho, que trata de regularização fundiária, e a legislação que vai condicionar as profissões do Sistema Confea/Crea como Carreiras de Estado. “Não fosse o alinhamento das forças tradicionais do Sistema junto ao Federal, não teríamos vencido a batalha da manutenção da ART e das nossas anuidades” – concluiu Tadeu, aconselhando o Presidente do Crea-SP a continuar no seu intento de realizar a melhor gestão da história do Conselho paulista. “Saiba que você realmente está a caminho disso e eu ficarei muito orgulhoso por esse feito”, finalizou.

Fotos: Yamauchi Fotografia

Equipe de Comunicação do Confea e Crea/SP