José Tadeu, presidente da FEBRAE participa da criação da Frente Parlamentar da Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento do Distrito Federal

confea1g_capa

confea1g_capa

Depois de Santa Catarina, Bahia, Alagoas e Acre, mais uma unidade da federação implanta sua Frente Parlamentar da Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento: o Distrito Federal. O novo grupo foi solenemente criado no dia 29 de junho, na Câmara Legislativa. Os primeiros trabalhos do grupo focarão em regularização fundiária e em acessibilidade.

Durante a solenidade, o presidente da FEBRAE e do Confea, José Tadeu da Silva, explicou a atuação do Conselho Federal nas duas frentes. Defendeu a necessidade da participação da engenharia na discussão a respeito da Medida Provisória nº 759/2016, que trata da regularização fundiária rural e urbana; e, em relação a acessibilidade, Tadeu da Silva falou da participação do Confea em conferência das Nações Unidas sobre o assunto. “Entre os 29 conselhos profissionais existentes, o Ministério dos Direitos Humanos convidou o Confea para compor a delegação do Brasil na conferência. Isso significa que o poder público entendeu que é a engenharia a ciência capaz de fornecer as soluções de acessibilidade”.

A deputada distrital que preside a nova Frente Parlamentar, Celina Leão (PPS), explicou a importância da criação do grupo: “A construção é para o nosso estado como a indústria é para São Paulo. E, nos últimos anos, tivemos uma queda de 40 mil postos de trabalho no setor”, afirmou. “A criação da Frente vem ao encontro da necessidade de retomar esse mercado”.

No Congresso Nacional, quem coordena a Frente Parlamentar – que é mista, ou seja, tem deputados e senadores em sua composição – é o deputado federal e engenheiro Ronaldo Lessa (PDT), que esteve presente no lançamento da Frente do Distrito Federal para defender a importância dos grupos tanto no âmbito nacional, quando no estadual. “A nossa missão é dar qualidade de vida. E se o médico não tivesse os equipamentos que tem?”. De acordo com ele, as lideranças políticas estão avançando nos debates da criminalização do exercício ilegal da profissão; da criação da carreira de Estado para engenheiros e agrônomos; e, principalmente, da federalização do Plenário do Conselho Federal. “O ministro do Planejamento prometeu para mim que, até dia 30, nosso texto estaria na Casa Civil”, contou.

Assessor parlamentar do Confea, articulador da criação do grupo e agora conselheiro da Frente, José Demétrius Vieira informou que o processo de implantação de frentes estaduais estão encaminhados em Goiás, em Mato Grosso, em Mato Grosso do Sul, no Paraná, em Pernambuco, no Rio de Janeiro, em Rondônia e em São Paulo. “A Frente nos dá oportunidade de estreitar o diálogo da engenharia, do desenvolvimento e da infraestrutura com o espaço público, promovendo e deliberando orientações políticas, próprias de um processo democrático”, defendeu Demétrius.

Também falaram durante a sessão o deputado federal Rôney Nemer (PP), o presidente da Câmara Legislativa deputado Joe Valle (PDT), o vice-presidente da mesma Casa, deputado Wellington Luiz (PMDB), o deputado distrital Claudio Abrantes (PT), o presidente da Federação Nacional dos Engenheiros, Murilo Pinheiro, e o presidente do Sindicato dos Engenheiros do Distrito Federal (Senge-DF), Brasil Américo Louly Campos.

56 anos do Crea-DF

Na ocasião, também foram celebrados os 56 anos do Crea-DF, com a apresentação de um vídeo institucional que ressaltou o papel do engenheiro. “Tenho orgulho de trabalhar para promover uma sociedade segura. Temos ainda muito a avançar. Vamos continuar lutando para termos uma sociedade protegida dos leigos e dos maus profissionais”, disse o presidente do Regional, Flavio Correia, sustentando que trabalhar pela valorização profissional é uma de suas prioridades.

O secretário-executivo da nova Frente e servidor do Senado Federal, Júnio Almeida, contou que o Crea-DF doou projeto elétrico para o hospital regional de Braslândia. “Desenvolvemos muitos trabalhos com a comunidade. E, quando visitamos o hospital de Braslândia, fomos cobrados quanto ao fato de que eles haviam recebido novos aparelhos, porém a rede elétrica do hospital não aguentava a potência das máquinas”, disse Almeida, ao agradecer e parabenizar o Crea-DF.

Permeabilidade

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), Luiz Carlos Botelho Ferreira, comemorou a recente aprovação da lei distrital que exige a criação de sistema de captação de águas pluviais nas construções com terrenos superiores a 600m2. A medida visa a aumentar a permeabilidade do solo e garantir melhor aproveitamento de recursos hídricos nos lençóis freáticos. “Agora, com a nova lei, teremos um disciplinamento profissional, técnico, correto, sob a saia da legislação, para se aceitar a tecnologia que faça uma melhor infiltração dessas águas”, disse.

A presidente da nova Frente Parlamentar, deputada distrital Celina Leão (PPS), ressaltou que o projeto de lei foi aprovado durante sessão itinerante da Câmara, ocorrida na sede do Sinduscon. “Conseguimos ir até a casa da construção civil e votar o projeto da permeabilidade, que vai facilitar muito a vida da construção no Distrito Federal”.

Beatriz Craveiro

Equipe de Comunicação do Confea