Para José Tadeu da FEBRAE, Investir nas Ouvidorias é melhorar os serviços do Sistema

confea2postb

Representantes da Ouvidoria Geral da União e das Ouvidorias dos Creas-DF e Rio Grande do Sul participaram do primeiro dia do VIII Seminário Nacional de Ouvidores do Sistema Confea/Crea e  Mútua, no dia 5 de julho, no plenário do Confea.

Presente à abertura do evento, o presidente da FEBRAE e do Confea, José Tadeu da Silva, ressaltou a relevância das Ouvidorias, responsáveis por aproximar os Creas dos profissionais e da sociedade em geral. “Promover este evento não é um gasto. É um investimento na melhoria dos nossos serviços”, afirmou. Antes de iniciar seu discurso, o presidente solicitou que os participantes se apresentassem e comemorou o fato de estarem presentes Creas de 24 unidades da federação. “É muito importante termos quase todo o Brasil aqui”.

O vice-presidente, Daniel Salati, por sua vez, ressaltou que as Ouvidorias são fundamentais nos Creas, e que devem agir próximas à alta administração. “Imponham-se! Passem os questionamentos e cobrem do gestor. Se isso acontecer, o Sistema Confea/Crea e Mútua vai melhorar 200%”. José Tadeu e Daniel Salati participaram de uma mesa ao lado do presidente do Crea-DF, eng. civ. e de seg. trab. Flavio Correia, do presidente da Mútua, eng. civ. Paulo Roberto de Queiroz Guimarães, e da Ouvidora-Adjunta da OGU, Marlene Alves de Albuquerque.

No período da tarde, Ouvidorias dos Creas das regiões Norte e Centro-Oeste participaram de um debate sobre o Passado, Presente e Futuro das Ouvidorias, mediados, respectivamente, pelas ouvidoras do Crea-DF, Matildes Portela, e do Rio Grande do Sul, Ana Vasconcelos. Em seguida, a representante da Ouvidoria-Geral da União Fernanda Maria Pereira Mendes falou sobre a “Resolução Pacífica de Conflito em Ouvidoria”.

Transparência

No dia 6 de julho, o debate prossegue com a participação do idealizador do site ReclameAqui, Maurício Vargas, e ouvidores da Mútua e dos Creas-ES e Santa Catarina, além de representantes da Ouvidoria do Confea, que trataram sobre a Lei de Acesso à Informação (LAI).

Há mais de 15 anos, a empresa ReclameAqui congrega reclamações e consequentemente as reputações das empresas para que antes de realizar uma compra, contratar um serviço ou resolver um problema, o consumidor possa saber mais sobre a empresa. Diariamente, são mais de 600 mil pessoas utilizando o serviço do site e registradas 30 mil reclamações.

Sobre o tema “A disruptura do consumidor: Você sabe o que vai acontecer com a sua empresa nos próximos 5 anos?”, Mauricio Vargas falou das quebras de paradigmas na forma de adquirir serviços ou produtos. “Não se usa mais o 0800, mas sim as redes sociais e o ReclameAqui seja para manifestar insatisfação, obter informação ou saber da reputação de determinada empresa”.

Nesse sentido, o especialista sugere que os profissionais da Ouvidoria conheçam mais esse novo movimento dos clientes que publicam abertamente e em tempo real suas reclamações na internet. A sugestão apontada por Maurício é que as Ouvidorias adotem um plano de ação que contemple esses novos canais de manifestação. “A palavra de ordem é ‘transparência’, e o consumidor quer atendimento e acesso à informação”, afirma o palestrante ao relatar que, somente nos dois últimos anos, foram registradas 700 mil manifestações no ReclameAqui contra o setor governamental. “O serviço público precisa entrar nessa onda de revolução de atendimento”.

Equipe de Comunicação do Confea

confea2postb